Papa no Regina Coeli: o Espírito Santo é harmonia, une diferenças


23/05/2021 - 13:25
Papa Francisco refletiu sobre o dom que o Espírito Santo é para a Igreja, constituindo harmonia e unidade

Após a Solenidade de Pentecostes neste domingo, 23, o Papa Francisco rezou a oração do Regina Coeli com os fiéis presentes na Praça São Pedro. O foco da reflexão foi para o dom do Espírito Santo, que é harmonia, unidade, une as diferenças.

Francisco partiu do episódio bíblico que mostra Maria e os discípulos reunidos no Cenáculo e o Espírito Santo desceu sobre eles, se manifestando como um “sopro”. Segundo o Papa, esse acontecimento traz uma mensagem simbólica para toda a vida.

“Esta experiência revela que o Espírito Santo é como um vento forte e livre, isso é, traz força e nos leva à liberdade: vento forte e livre. Não se pode controlar, parar, nem mensurar, nem mesmo prever suas direções”.

O Papa explicou que, no dia de Pentecostes, os discípulos estavam desorientados e com medo, como muitas vezes acontece conosco. Mas frisou que Deus sabe como abrir as portas do coração e envia o Espírito Santo que vence todas as hesitações. “O Espírito nos torna novas criaturas, assim como fez naquele dia com os apóstolos”.

Universalidade, harmonia e unidade

Depois que receberam o Espírito Santo, os apóstolos não foram mais como antes, lembrou o Papa. Eles saíram sem medo e começaram a pregar Jesus ressuscitado e presente na vida das pessoas, de modo que todos os entendiam na própria língua.

“Porque o Espírito Santo é universal, não nos tira as diferenças culturais, as diferenças de pensamento, não, mas é para todos, mas cada um o entende na própria cultura, na própria língua. O Espírito muda o coração, alarga o olhar dos discípulos”.

O Espírito Santo torna os discípulos capazes de comunicar a todos a grande obra de Deus, acrescentou ainda o Papa. Em outras palavras, coloca em comunicação pessoas diferentes realizando a unidade e a universalidade da Igreja.

Essa é uma verdade que hoje diz muito, disse Francisco, onde na Igreja há grupinhos que procuram sempre a divisão. “Este não é o Espírito de Deus. O Espírito de Deus é harmonia, é unidade, une as diferenças”.

Francisco citou, por fim, a comparação feita por um cardeal que já foi arcebispo de Gênova. aDizia este cardeal que a Igreja é como um rio: o importante é estar dentro. Não interesse se está um pouco deste lado ou de outro, mas estar na unidade do Espírito Santo e não olhar para as pequenezas.

“A Igreja é para todos, para todos, como fez ver o Espírito Santo no dia de Pentecostes. Peçamos à Virgem Maria, Mãe da Igreja, para interceder para que o Espírito Santo desça em abundância e encha os corações dos fiéis e acenda em todos o fogo do seu amor”, concluiu.



Ultimas Matérias
17 cristãos por dia são mortos por radicais muçulmanos na Nigéria
Papa aos jovens de Medjugorje: seguir Cristo é a verdadeira alegria
2º Domingo de Agosto - Dia dos Pais
Dia do Diácono - 10/08
Dia do Padre - 04/08
Veja Mais